»Coçando verbo

Quarta-feira das mães

09/05/2005 às 09:17

O sujeito estava tranqüilo tomando uma cerveja no bar quando chega um rapaz de bicicleta.

Pede uma pinga, senta na varanda e de repente pergunta ao sujeito:
- Este carro é seu? – indicando para o veículo estacionado em frente.
O homem olha desconfiado e responde secamente:
- É...
- Sabe o que acontece senhor... Eu trabalho ali no lavador de carros e estou precisando de um grande favor. A minha mulher teve alta no hospital essa manhã, ela ganhou neném e eu pedi ao patrão para emprestar-me o carro e ele disse que não podia... Que a mulher dele tinha que sair para fazer cobranças... Corri atrás dos amigos e não consegui nada... Eu preciso tirar a mulher e a criança do hospital e gostaria de saber se o senhor pode me fazer esse favor... Depois o senhor leva o carro lá no lavador que eu dou uma caprichada... Ou então o senhor vê quando cobra pelo serviço...
O homem fica receoso pensando com seus botões: “Será que ele tá falando a verdade ou tá tentando me aplicar um golpe, roubar o carro?...”.
Resolveu se esquivar:
- Bem... Eu não te conheço e tenho compromisso daqui a pouco...
- Eu entendo... Se não der para fazer isso por mim eu agradeço do mesmo jeito, mas o senhor pode perguntar pra dona aí do bar, eu sempre estou aqui...
O dono do carro se levanta e vai até o balcão:
- A senhora conhece esse rapaz?
- Bem... Ele é freguês aqui, de vez em quando aparece...
- Tudo bem então. Eu vou lhe fazer esse favor. Mas não posso me demorar...
- É rapidinho, a mulher e o bebê estão liberados...
Entraram no carro e logo param em frente ao Hospital da Mulher.
Em poucos minutos saem o rapaz com a esposa e um bebê, uma bela menina de cabelos pretos... Um anjinho...
O motorista os leva para a casa com todo o cuidado, desviando-se dos buracos... A mulher tinha passado por uma cesariana e ainda estava com os pontos doloridos...
Quando estaciona em frente à humilde residência do casal, a mulher agradece, o jovem pai agradece e ainda insiste para que o homem não deixe de levar o carro no lavador...
- Não precisa. Só desejo que vocês sejam felizes...
O homem vai embora e fica pensando na casualidade: aquela ajuda tinha uma mensagem implícita...
O domingo seguinte era Dia das Mães. Mas, para ele, indiferente à fuzarca comercial alusiva à data, o Domingo das Mães aconteceu na quarta-feira anterior... Como é bom poder ajudar a quem, de fato, precisa, na hora certa... 

 

Deixe seu comentário
«voltar
2004-2019 © Todos os direitos reservados