»Coçando verbo

Dois patinhos na lagoa

27/06/2005 às 13:01

 

Dois patinhos passeavam na lagoa quá-quá-quá...

Riscavam a água da pura diversão quá-quá-quá...

Naquela pura aventura só se ouvia quá-quá-quá...

O Leo faz aniversário quá-quá-quá...

Então vamos cantar parabéns pra ele quá-quá-quá...

Muitos anos de vida quá-quá-quá...

Que papai do céu o abençoe quá-quá-quá...

 

---------------

 

Victor Hugo escrevia para os netos.

Escrevo então para o primogênito.

No dia 22 de junho de 2005 completou 22 anos o Leonardo.

Que o caro leitor me permita leonificar um pouquinho.

A patroa alertou:

- Veja lá o que você vai escrever!

Se errar vai ser tentando acertar.

O sentimento e o amor do poeta apenas se leonificam, se coisificam ou sabe-se lá quá-quá-quá...

Em 22 anos nunca escrevi, em primeira pessoa, uma linha sobre o Leonardo...

As lembranças de sua infância perfumam a memória.

Lembro-me de uma criança muito grudada em mim.

A sua criancice na casa da Rua Iracema, o dia em que ele, um toquinho de gente, começou a dar os primeiros passos sem antes engatinhar, sempre sorrindo e cheio de vida...

Quando dormia em meus braços no ônibus lotado meus músculos se cansavam e diziam quá-quá-quá...

O dia em que deu um susto danado tomando “Q-Boa” pensado que era água...

Do dia em que fugiu da escola e pulou o muro porque a professora gritou com ele quá-quá-quá...

De quando começou a se interessar pelo cavaquinho e integrou o “Debaixo da Saia”...

Das suas canções ao violão solitário e triste em frente de casa...

Da sua voz mansa e pausada e às vezes retumbante como corneta quá-quá-quá...

Da meiguice resumida em 22 anos...

Do Elpídio Reis em “Só as Doces”: se a mocidade conhecesse as suas vantagens, sua força, ela governaria o Mundo...

Ou La Fontaine:

- Amai... Amai... Que tudo o resto é nada!

Superamos nossas diferenças, tivemos nossos desencontros quá-quá-quá...

Mas hoje o meu pequeno menino é homem feito...

É alto e forte...

Têm virtudes, defeitos, desejos e frustrações, caráter, verdade e simplicidade...

O descobrimento se leonificou em algo mais quando veio ao Mundo a primeira filha quá-quá-quá...

Aprecia a música, canta e, por conta desse ar gracioso e feitio genioso é rodeado pelas jovens...

Haveria mesmo três tipos de pessoas: as boas, as más e os músicos? Quá-quá-quá...

O Leo não é uma má pessoa, apenas musifica a leonidade que há dentro de si...

Está na juventude dos 22, na cantoria dos dois patinhos na lagoa quá-quá-quá...

 

 

Deixe seu comentário
«voltar
2004-2019 © Todos os direitos reservados